Aprendendo um idioma com uma velocidade acima da média

Oi, pessoal. Como vão vocês?

Estou aqui nesse fórum como um “auto convidado” porque eu quero compartilhar com vocês uma experiência pessoal. Eu não sei qual será o impacto em vocês a respeito dessa leitura, nem sei ao menos se haverá algum impacto, então, sem mais delongas, vou contar a vocês o que eu tenho feito e esperarei para ver o que acontecerá. Espero que ela seja de benefício para que você também possa alavancar o seu próprio aprendizado de idiomas!

Recentemente eu descobri que tenho interesse em aprender idiomas e, mais do que isso, eu descobri que tenho facilidade para aprendê-los. Talvez o interesse venha pela facilidade ou talvez a facilidade venha a partir do interesse, mas isso eu ainda não sei dizer. Quem sabe em um próximo post eu não caminhe em direção a essa resposta (seria interessante)?

Um pouco de background

Só para situar vocês um pouco antes de entrar direto ao assunto, eu gostaria explicar um pouco do meu passado com idiomas, para que vocês possam montar um cenário mental e acompanhar meus pensamentos. Não se preocupem, meu passado com idiomas não é assim tão longo, então vai ser bem rápido.

Nota rápida
(Se vocês quiserem pular todo o meu “blá blá blá”, vocês podem ir direto para a parte Modificando a teoria proposta)

1) English

Eu comecei a estudar inglês quando eu tinha 15 anos, estudei durante 5 anos e até que finalmente me formei. Sete meses depois de me formar no inglês, eu fui fazer a minha primeira grande viagem. Fui para o Canadá. Lá, eu fiquei mais um mês estudando. Fiz o curso preparatório para o TOEFL (Test Of English as a Foreign Language) e como costumávamos brincar lá, o TOEFL é tough. Mas na verdade, tudo isso é meio irrelevante, o que vai importar mais mesmo nesse post é a frequência em que eu estudava inglês.
Durante três anos, eu estudei inglês 2x por semana, uma hora p/ aula, logo, duas horas na semana e nos últimos dois anos, eu passei a estudar 1x na semana, 2 horas por aula. Eu percebia que eu tinha mais facilidade que meus colegas de classe, pois eu não tinha dificuldades em acompanhar as aulas e eu nem ao menos estudava para as provas, enquanto isso, os meus colegas se desesperavam perto da época das provas. Agora vem o que eu acredito que me ajudou.
Eu tenho um amigo, que na época ele já falava inglês, seu inglês não era muito bom na época, mas mesmo assim nós conversávamos pelo msn (desenterrei essa, eu sei). O contato com o inglês escrito, nas nossas conversas informais foi o que me deu essa vantagem em cima dos meus colegas de classe. Conversando com meu amigo, eu não ligava se eu escrevia errado e aos poucos meu amigo ia me corrigindo.
Na escola então, eu aproveitava somente duas coisas: as estruturas gramaticais que meus professores me ensinavam e eu podia praticar minha fala.

Analisando todo esse contexto do meu estudo de inglês, isso foi genial! Uma ação totalmente simples e inocente, me ajudou a falar um inglês muito bom próximo do final do terceiro ano de estudo.

2) Italiano

Durante a faculdade, eu ainda estudava inglês, mas comecei a desenvolver um interesse por aprender italiano.
Comecei a estudar italiano há um ano e durante 8 meses eu fiz uma carga horária de 2 horas por aula, apenas 1x na semana e depois eu estudei 1 mês em uma outra escola para fazendo um curso intensivo que tinha uma carga horária de 4x p/semana com 2,5 horas de aula. Ao terminar o curso intensivo, eu voltei para o meu curso regular por mais dois meses e então fiz minha segunda grande viagem. Fui para a Itália.
O período entre eu ter terminado o curso intensivo e antes de eu ter viajado, eu notei uma diferença enorme entre eu e meus colegas. Enquanto eles ainda balbuciavam para falar em italiano, eu já falava razoavelmente bem.
Claro que depois quando voltei da Itália, o meu italiano está em um nível bom, mas ainda existe muito a melhorar.

Conclusão do background

Eu acredito que a descrição do meu background foi maior do que eu esperava, mas o que eu queria destacar para vocês é a frequência do meu estudo. Isso é o mais importante de tudo. Quando eu estudava apenas uma vez ou duas vezes por semana e depois não mantinha contato com a língua, minha evolução era igual a da média. Mas quando eu mantinha contato com uma frequência maior do que os meus colegas, eu aprendia mais rápido.
A frequência com que estudamos e mantemos o contato com um idioma é muito importante, e eu tenho a ousadia de dizer que as pessoas podem aprender um idioma em uma velocidade muito mais rápido do que aprendemos hoje. Agora, finalmente, eis que meu post começa.

Aprendendo um idioma de uma forma a cima da média

Durante a minha segunda viagem, eu assisti um vídeo e lí uma matéria (http://g1.globo.com/educacao/noticia/2012/03/brasileiro-que-domina-11-idiomas-da-dicas-para-aprender-outras-linguas.html) dizendo que qualquer pessoa pode aprender vários idiomas de uma maneira simples: estudando 15 minutos todos os dias.
Eu decidi então, quando eu tornasse ao Brasil que eu iria colocar essa teoria em prática para testar. Eu queria estudar três línguas ao mesmo tempo: alemão, italiano e polonês.
Um elemento importante de cada idioma desses eu já tinha: uma pessoa que falasse esses idiomas com as quais eu pudesse conversar. Agora só me faltava material, um cronograma e força de vontade.

 

Eu montei um cronograma onde eu dizia quais dias eu iria estudar qual aspecto do idioma (escrita, fala, audição ou leitura).

Com o passar do tempo eu fui notando coisas muito importantes. Embora eu estava aprendendo pouco a pouco esses idiomas, eu estava me cansando muito. Era muito difícil para mim estudar apenas 15 minutos cada idioma, pois esse tempo, eu gastava basicamente buscando por um material na internet para começar a estudar e quando eu começava, eu apreciava tanto que eu não parava 15 minutos depois. O resultado de tudo isso, é que eu acabava cansado, dormia tarde e não havia tempo para fazer outras coisas. Então eu decidi modificar um pouco a teoria proposta.

Modificando a teoria proposta

Ao invés de estudar N idiomas 15 minutos ao dia, eu estudo apenas um idioma mais de quinze minutos ao dia, na verdade, eu percebi que o tempo em si não importa, e o que importa é a frequência.
Estudando todos os dias, você mantem um contato com o idioma e fixa melhor na sua mente tudo que já foi estudado. A nossa mente aprende através de um sistema de repetições, seja referente a qualquer aspecto. Veja um exemplo: vocês já tentaram mudar algum hábito? Para mudar um hábito, tudo que você tem que fazer é alterar o que você faz quando da vontade de fazer o que você está acostumado. E isso você só muda se você fizer um treino diário. No começo é muito difícil, mas depois de um certo tempo, a sua mente se acostuma e tudo começa a fluir naturalmente até que chega o ponto que você não vai mais notar o que você está fazendo, e quando você percebe, você mudou seu hábito.
Mas tudo isso só vem depois de muita prática e muito esforço, nada vai mudar da noite para o dia, e com um idioma é a mesma coisa.

Eu estudo todos os dias, de segunda à sexta-feira, e deixo o sábado e domingo para a minha mente fazer o que eu gosto de chamar de aprendizado inconsciente. Toda vez que você se expõe a um aprendizado muito intenso, você sobrecarrega o seu cérebro e você acaba aprendendo menos com o tempo, porque o seu cérebro está cansado e processando todas as informações que você manda para ele, mas quando você fica um período sem estudar, ou fica sem mandar essas novas informações para ele, ele começa a fazer uma assimilição inconsciente de tudo que você estudou até o momento. E você vai notar que um dia, de repente, que você sabe uma coisa que você estudou há um tempo e essa informação veio tão naturalemente para você, que parece que ela sempre esteve lá, não parece que você a aprendeu recentemente.

A mesma coisa funciona com idiomas. Se você os estudar por vários dias, mas depois deixar alguns dias para o seu cérebro descançar e fazer seu próprio trabalho em background, você verá que o apredizado será mais fácil.

Eu estou estudando alemão com esse método. Fazem exatamente 2 meses que eu estou estudando dessa maneira e para quem não falava nada de alemão eu já estou muito bem.

Não se iluda pensando que eu já falo muito o alemão, ou que eu já sei todo o básico do alemão, ou qualquer coisa do tipo, isso não é verdade. Com esse método de estudos, eu sou capaz de aprender vocabulário novo todos os dias, aprender a formar frases, aprender a escrever as palavras e aos poucos eu me arrisco a falar o idioma, mas sem dúvida, eu falo mais alemão do que qualquer estudante de um curso regular de alemão que vem estudando a 2 meses. O mais importante é que até agora vem funcionando e de uma maneira simples.

Também é importante saber dividir os aspectos do estudo: audição, fala, escrita e leitura. Estude sempre um pouco de cada um. Não precisa necessariamente fazer todos no mesmo dia. Siga o seu ritmo. Você sempre acaba misturando um com o outro enquanto estuda, por exemplo, leitura e escrita estão ligados, como audição e fala também estão conectados, então não se sobrecarregue.

Dê um foco um pouco maior naquele aspecto que você tem mais dificuldade. Se sua dificuldade é na pronúncia, converse mais. Se sua dificuldade é na escrita, escreva mais. Se sua dificuldade é na compreensão, ouça mais vídeos ou podcasts. Se sua dificuldade é na leitura, leia mais livros, comece pelos básicos e simples e depois vá subindo o nível.

Um outro ponto muito importante que eu gostaria de ressaltar para vocês é: Deem foco no que é mais difícil. Se você está tentando memorizar várias palavras de uma vez, por exemplo, e no meio dessas palavras, tem uma palavra que é muito difícil para você lembrar, foque em lembrar apenas essa. Como as outras palavras são mais simples, depois você as aprenderá.
Se você gastar o seu tempo tentando lembrar de todas incluindo aquela difícil que você ainda não aprendeu, o seu cérebro fará um grande esforço e não se lembrará de nenhuma delas, se isso acontecer, você se sentirá como se nada tivesse adiantado no seu estudo. Então, essa dica é bem importante.

Materiais para estudo

Aqui eu quero mostrar para vocês um pouco dos materiais que eu uso para estudar.

Memrise (http://memrise.com/)

O site do memrise é um site onde pessoas criam cursos a respeito de assuntos variados, e muitos desses cursos são de línguas. O memrise trabalha com uma teoria de que a nossa mente é como um jardim, onde devemos plantar nossas sementes (palavras novas), e regá-las (exercícios de repetições), até que elas se tornem uma flor (aprendizado). E esse método é muito efetivo! Vale a pena tentar.
Como o Memrise, o Duolingo é um site onde aprende-se idiomas. Ele usa um método onde você aprende palavras novas e vai se exercitando através da escrita. Esse site é muito bom, pois tem um forum dedicado a discussão dos próprios usuários a respeito do conteúdo aprendido no site. Ajuda muito a tirar dúvidas e entender o porque das coisas.

Podcasts

Podcast é um meio muito bom para treinar o ouvido. Existem ótimos podcasts na internet de diversas línguas, basta procurar na internet que você com certeza encontrará um bom. Vale uma dica adicional aqui que quem tem iPAD, no aplicativo de Podcasts é muito fácil encontrar bons podcasts de idiomas.

Vídeos

Vídeos que mostram pequenas cenas de situações diversas são muito úteis também para praticar o ouvido e melhorar a pronúncia do idioma. Existem vídeos que ainda possuem a legenda no próprio idioma estudado, assim além de praticar o ouvido e a fala, vocês conseguem estudar também como se escreve as palavras.

Conversar

Conversar com as pessoas é sempre importante para aprender uma língua. Se você tem um amigo ou qualquer pessoa que você se sinta confortável de conversar e que conhece o idioma que você está estudando, vale muito a pena conversar com essa pessoa. Eu ouso dizer que essa é para mim a melhor maneira para aprender um idioma. Se o seu amigo fala o idioma, melhor ainda, mas se ele conhece pouco como você, não tem problema. Vocês podem se ajudar nesse processo de aprendizado! De qualquer forma, conversar com alguém ajuda muito!

Conclusão

O importante ao estudar um idioma é a frequência em com a qual você o estuda. Claro que o tempo que você passa estudando é importante, mas desde que você mantenha um ritmo frequente, você com certeza aprenderá o idioma de uma forma mais rápida.
Praticar com frequência os aspectos de um idioma é importante para que você possa se desenvolver em todos eles. Não se esqueça de focar no aspecto que é mais difícil para você, dessa maneira, os outros virão naturalmente sem que você precise se preocupar.
Use quantas ferramentas você achar necessário para te auxiliar. Cada um é diferente. Vai existir pessoas que dizem que preferem estudar com livros didáticos ao invés de sites, por exemplo, então, comprem os livros didáticos, não importa. O importante é você usar as ferramentas que são confortáveis a você.
Por fim, mas não menos importante (pelo contrário), fale! Converse com as pessoas que você se sinta confortável, isso acelera muito mais o processo.

Espero que esse post tenha sido útil à vocês e que para aqueles que estava faltando um “empurrãozinho” para começar a estudar um idioma, espero que esse post o tenha ajudado.

Abraço,

Gabriel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*
*
Website

Solve : *
18 × 24 =